quinta-feira, 31 de março de 2011

Cadeia Cíclica

Sou como as cadeias de carbono que estudamos em química orgânica. Sou uma cadeia cíclica, porém com a substituição dos compostos orgânicos pelos sentimentos. Alguns dos meus sentimentos têm ligações simples, outros são totalmente complexos. Não aquela complexidade matemática de a+bi. É uma sem resolução.

Tenho um coração biologicamente e sentimentalmente involuntário. Possuo um desassossego e guerras interiores que eclodem a todo instante. Não tenho uma filosofia de vida, porque já existem muitas perguntas sem repostas. Acho sociologia uma chatice, eu mal consigo me entender, como poderei compreender uma sociedade inteira?

Interpretar textos é hipocrisia, queria era aprender a interpretar olhares. Acho aqueles princípios de eletrostática sem uso, pois é mentira que os opostos se atraem. Eu particularmente gosto é de simetria. E geograficamente falando, eu queria era morar nos livros de literatura.

Um comentário:

na ponta da lingua disse...

O nunca achar-se faz parte da vida. Acho que o conflito pode gerar literatura, ao menos é um dos meios para expandirmos nossa conturbada alma de poeta. A vida é cíclica, infinitamente. Transformar em texto o que nos perturba é algo muito perigoso, mas necessário! Gostei do post!