terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Combustível



Minha vida talvez não transborde literatura, mas em cada leitura, encontro um pedaço meu perdido em alguma folha. Na Tati Bernardi encontro minha revolta, no Mário Quintana a simplicidade das coisas, na Norah Roberts meu lado romântico, no Caio Fernando fragmentos da minha vida amorosa.
Luiz Ruffato escancara meus olhos para realidade. Clarice Lispector me faz olhar para meu interior. Khaled Hosseini me transporta até o Afeganistão e me permite adquirir conhecimento de outras culturas. Nicholas Sparks desabrocha meu lado chorão. Jane Austen me faz viajar no tempo.
E tudo isso me serve de combustível para enfrentar os dias e abastecer minha vontade de escrever.

2 comentários:

#Mari Vargas disse...

Simplesmente DISSE TUDO!

M. disse...

Thanks, Mari.