sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Esquecer.

Cada dia me liberto um pouquinho dos teus encantos. Cada vez mais esqueço detalhes teus. Não recordo os pormenores da tua fala, nem o modo como teus olhos verdes me fitavam naquela noite. Esqueço paulatinamente o turbilhão de sensações que teu toque causava no meu corpo. Nem lembro mais dos teus ataques de esquecimento, também não me lembro do modo engraçado como você pronunciava meu nome em cada frase que dizia. Não recordo do seu cabelo bagunçado que você havia me permitido pentear. Não me lembro do instante em que tirou meus óculos delicadamente e colocou em você.
Já nem gosto mais de guerra de polegares e do beijo estalado que me deu no ouvido. Continuo odiando as perguntas sobre os shows e sobre as músicas, afinal de contas, por que não pergunta logo se gosto realmente de ti? Ah... Óbvio, deve saber a resposta.
Vou te esquecer, mesmo que isso equivalha a esquecer metade de mim. Vou te esquecer, nem que eu tenha que mentir para mim todas as manhãs quando acordo. Mentir é o que faço agora, enquanto escrevo essa porcaria de texto e choro feito uma idiota com uma enorme dificuldade para esquecer coisas que causam dor.

2 comentários:

Kelem disse...

Maura! Parabéns pelo blog, adorei os textos... mto reais e bem reflexivos. hehe bjs

M. disse...

Kelem, obrigada. E fico feliz que tenha gostado dos meus textos *-*