domingo, 13 de dezembro de 2009

Independência ou Morte

Eu tenho uma prima pequena, não tão pequena assim. Ela bateu na porta da minha casa, hoje, alegando ter vindo de sua casa que fica a umas quadras da minha, por este trajeto é necessário atravessar ruas, e ela veio sozinha.

Ela estava se vangloriando por sua pequena liberdade, um começo de independência.

Independência esta, que nos move, nos faz caminhar com nossas próprias pernas. Uma mão amiga e firme é sempre bem vinda em casos de desmoronamentos, que acontecem de vez ou outra.

Lembro-me da minha primeira conquista sozinha, me limpar, sim limpar o bumbum. Depois veio a escola, eu era obrigada a ir de segunda a sexta-feira, que me fez desprender-me do meu porto seguro, do meu lar. Logo mais, a primeira vez que encarei minha mãe e disse que poderia ir ao armazém da esquina sozinha, estufando o peito subitamente preenchido de um orgulho bobo de criança, disse que era grande o bastante para esta tarefa. Mas hoje analisando os fatos, lembro-me de não saber que era apenas um pontinho no meio da imensidão.

Esta pequena independência era como se todas as janelas que antes estavam sempre fechadas se abrissem. E assim eu poderia voar pros braços do mundo.

Assim que minha prima se sentiu hoje, igualmente como me senti dias atrás.

5 comentários:

Pobre esponja disse...

É verdade. Mas a pequena liberdade de se poder ir ao armazém a uma criança de sete anos, por exemplo, é a mesma de um adolescente de 16 que pode viajar sozinho. Por aí...

bjs
Pobre Esponja

Pobre esponja disse...

Quis dizer: são proporcionais.

bjs2

C. Liilian disse...

Acho q a primeira coisa q conquistamos é a independencia para q otras coisas sejam obtidas. Eu msm, pude ter liberdade total faz pouco tempo, e até antes de conseguir, nao achava ruim ter q ficar na barra da saia da mae. Beeijos

Gêsa disse...

Tenho liberdade mas não sou independente porque ainda preciso da ajuda financeira dos meus pais. Acho bacana quem consegue ter os dois, mas estou muito feliz embaixo na asas dos meus pais.

Rui disse...

o conceito liberdade é algo interessante
nenhuma pessoa é totalmente livre, somos prisioneiros de vários coisas: da moral, das regras, da sociedade e, principalmente, dos desejos
somos escrevamos dos nossos desejos, vontades, medos,...

mas sim, quando somos crianças, ficamos felizes por coisas que os adultos acham bobas, como ir ao mercado sozinho, ou atravessar a rua, atender um telefone,...
e olha que nessa época é que somos mais felizes