segunda-feira, 30 de julho de 2012

Aquele Sim


Ele me colocou em cima do balcão da cozinha. Olhou no fundo dos meus olhos. Sorriu. Eu pisquei. Ele puxou meus cabelos. Eu o encarei, tentando perguntar telepaticamente o que estávamos realmente fazendo. Obvio que eu sabia a resposta. Mas teria o mesmo significado para nós dois essa ação?
Eu, um pouco insegura, protestei no primeiro instante. A verdade é que não havia como negar algo diante daqueles olhos verdes. Ele me hipnotizou até eu balbuciar aquele sim meio cuspido de paixão.
Enquanto suas mãos percorriam minhas costas tive a certeza que me faltava. Eu o queria, pois sou desses tipinhos que amam quebrar a cara. Seus lábios vagando pelo meu pescoço. Minhas unhas deixando marcas em sua pele branca. Depois de alguns instantes permiti que ele se tornasse senhor de mim.
Ele me abraçou carinhosamente ao fim de tudo. Beijou protetoramente minha testa. Logo pressenti o fim subitamente chegando. Me disse tchau na manhã seguinte e fechou a porta de sua vida para mim.

Nenhum comentário: